Resenha: Corte de Chamas Prateadas - Sarah J. Maas

  • 09:00
  • 22 de fev. de 2021
  • Resenha: A Court of Silver Flames (Corte de Chamas Prateadas)

    A Court of Silver Flames (Corte de Chamas Prateadas) é um spin-off da trilogia Corte de Espinhos e Rosas, história da Sarah J. Maas que ganhou milhões de fãs pelo mundo. Apesar de ter desistido oficialmente de ACOTAR, eu prometi que voltaria uma última vez por Nesta Archeron - e, surpreendentemente, não me arrependi!

    Para quem gosta de ACOTAR, vale a pena conhecer:

    O livro começa com aquele capítulo final de Corte de Gelo e Estrelas (um extra) com a Nesta, em sua solidão regada a bebidas e sexo para se alienar das tormentas que seus poderes trazem, sendo convocada até a Corte Noturna. Lá, Feyre declara que eles vão parar de sustentá-la, e que ela será levada para outro lugar a fim de treinar e trabalhar durante um período. Tudo para o seu bem, forçadamente, claro.

    Cassian é seu guardião e treinador, e é com teimosia e brigas que os dois começam a treinar e se aproximar. É nesse recomeço que Nesta passa a aprender mais sobre seus poderes - e o que a existência deles pode significar para o mundo pós-guerra não tão em paz assim.

    Esse livro é total e completamente sobre a Nesta. Sua jornada, com sensibilidade e cuidado. Seus traumas, seus pesadelos, o peso que ela carrega desde a transformação e o quanto isso cobrou da sua sanidade e da maneira com que ela reage pelo mundo.

    Nesta sabia que suas chamas prateadas vieram de um lugar escuro e frio. Um lugar que era antigo - e mesmo assim, inteiramente novo.

    Eu sempre fui apaixonada pela Nesta. Mesmo presa à visão limitada da Feyre (às vezes odeio primeira pessoa em narração), sempre vi complexidade e muitas camadas na sua irmã mais velha. Nesta passava essa vibe de "não me toque sou furiosa" que geralmente esconde personagens tão intensas, e foi isso que recebi no seu livro.

    Nesta, transformada contra sua vontade, que foi forçada a habitar e ser parte de um mundo que sempre odiou. Privada do pouco que tinha no mundo humano, alterada por uma força antiga que nem mesmo os feéricos da atualidade entendem pelo que ela passou; Nesta, que lutou uma batalha que nunca quis, que viu as irmãs sofrerem até o quase fim, que perdeu o pai abruptamente quando havia acabado de tê-lo de volta. Nesta, Nesta, Nesta. Como eu amo essa personagem.

    "Você é aquela sobre quem o mar e o vento e a terra sussurram. Nesta."

    A complexidade dela está no fato de ela não ser uma personagem fácil. E, nossa, como é bom ler personagens femininas que fogem dos estereótipos de sempre. Ela é babaca, ela é respondona, ela é furiosa, ela bebe, transa e se perde nos prazeres fáceis para esquecer os problemas complexos; ela está lutando contra traumas silenciosos, contra a solidão em que se abrigou, contra o pouco que tem e que pode ser tirado dela.

    Resenha: Corte de Chamas Prateadas - Sarah J. Maas

    Ela é tão incrível por ter todas essas camadas, todos os tons de cinza; por ser apaixonada pela vida e ter sido arrancada dela, por se preocupar com as irmãs, mas guardar tanto ressentimento que tudo que existe entre elas é rancor. Nesta é forte porque está resistindo, mas precisa se lembrar disso. E A Court of Silver Flames (Corte de Chamas Prateadas) é exatamente isso. Sua jornada entendendo seus traumas, seus medos, suas falhas, e se recuperando pouco a pouco disso.

    Eu senti que esse livro fez um grande paralelo com os estágios do luto - os 5 aparecem no decorrer da trama através das emoções da Nesta. Primeiro, a Negação e o Isolamento. Segundo, a Raiva. Terceiro, a Barganha. Quarto, a Depressão. E, por fim, a Aceitação. Você lê isso no desenrolar da história, na maneira com que a Nesta reage ao mundo e aos personagens ao seu redor; como ela se abre devagar, como expõe as partes feias do seu coração para o mundo como parte do que sofreu e perdeu, como se entende e entende que precisa sobreviver e viver com essa dor, porque ela nunca se vai.

    A sensibilidade com que a Sarah J. Maas escreve a jornada da Nesta é linda. É tocante. Emociona porque é real, porque é fácil de entender; você tem liberdade de narrativa, não está mais presa à visão da Feyre sobre a Nesta, então tem muito mais a entender sobre essa personagem.

    E, ao lado de Nesta, Cassian se mostrou todo o mozão que eu rezava para que ele fosse.

    Cassian sorriu para ela, e o mundo desapareceu. A música não era a coisa mais bela que existia. Era ele.

    Ele não fez mais do que a obrigação, e por isso eu o amo tanto. Cassian é paciente, é companheiro, é apaixonado, é querido, atencioso. Devagar, conforme Nesta se afasta da Raiva e do Isolamento, Cassian se aproxima para entendê-la mais; para ver o que ela tem dentro dela e para entender que ela tem um caminho árduo e longo pela frente. E, por isso, ele estende a mão.

    Além da sensibilidade, claro, ele continua um paspalho sarcástico, cheio dos comentários petulantes e divertidos, o meu Han Solo feérico maravilhoso.

    É só isso, mas é importante. Mostra o quanto ele se importa. Ele já viveu e sofreu muito e dor e traumas e morte já passaram por sua vida de infinitas maneiras - mas não na abruptidão com que Nesta os viveu. Através de incentivo, de apoio e de conversas maduras, Cassian está ali pela Nesta e ela por ele.

    Eu sou o monstro que você teme.

    É um relacionamento que eu francamente só sei chorar a respeito. Eles se amam tanto - tá CLARO ALI - mas existe alguma coisa os freando de expor os sentimentos abertamente. Ainda tem muito ressentimento, muita coisa não falada, muito que a Nesta precisa superar para que possa se abrir para o amor em sua totalidade.

    Mas ele atravessou até onde as chamas prateadas e a noite batalhavam. E ele chamou com muita calma, "Nesta."

    Enquanto ele não acontece, no entanto, os dois se dividem entre discussões afiadas - no bom tom de Han Solo e Leia, graças aos deuses - e sexo.

    Resenha: Corte de Chamas Prateadas - Sarah J. Maas

    O que esse livro tem de sensibilidade narrativa e Feysand sendo um pé no saco, ele tem de sexo. Rapaz, é muito sexo. É um acordo entre os dois de que o físico não vai encontrar o emocional, e funciona bem porque eles não ficam de bem-me-quer-mal-me-quer no que concerne essa parte carnal. Eles se desejam e realizam... Esses desejos todos. É um hot que até tentou se levar a sério, mas eu achei de uma galhofice engraçada de acompanhar. Era toes curling pra cá, era big cock pra lá. Ri muito e adorei porque os dois são meu OTP, né?

    O desenvolvimento do ship vai nisso. Da construção de confiança e amizade mesclando as situações sexuais e cheias de calor e desejo até uma relação intensa e inseparável. Eu amo Nessian e vou morrer por eles!

    "Você expõe seu coração para que todos o vejam, irmão."

    E o que falar sobre Feysand que foi a maior pedra no meu sapato desde Corte de Gelo e Estrelas, não é mesmo? Nem quero falar, na verdade. Só que, durante quase 800 páginas, poucas foram as cenas em que eu não senti vontade de afundar a cara dos dois no asfalto quente. Principalmente do Rhysand, que tomou umas atitudes controladoras em cima da Feyre e da Nesta que foram simplesmente indesculpáveis. Uma com a Feyre, em particular, foi o que eu e todo mundo da LC da Lu (Balaio do Babados) mais gritamos e usamos emotes de raiva para expressar.

    Ele tirou completamente o controle da Feyre de uma situação que dizia respeito a ela e somente ela. Ele tomou por direito dele DECIDIR o que contar e o que esconder e obrigou todos ao seu redor a confabular com essa decisão. Não, não tem justificativa. Não, não tem perdão. Sim, essa situação grotesca foi resolvida culpando a Nesta pela maneira com que ela reage e só ela. Como se, ao explodir com a irmã por causa da hipocrisia daquele macho feérico, ela estivesse errada.

    E a Feyre e o modo como ela aceita isso, como ela desconversa as atitudes possessivas do Rhysand com "ai, ele é assim mesmo". Garota. Acorda! Você gritou e se rebelou contra o Tamlin pela mesmíssima situação; ele queria colocar uma coleira em você e te controlar. O Rhysand está fazendo isso e você tá achando romântico. Pau no cu dele!

    O Rhysand, belo e inventor do feminismo, pagava tanto de libertador dos ideais opressores e se mostrou um grandessíssimo Tamlin. Se achou certo, ameaçou quem tentou retrucar sobre a situação e ainda ameaçou matar a única pessoa que bateu o pé contra aquilo. Eu espero que ele e a Feyre deem as mãos e explodam, é meu ponto final nessa história para esses dois.

    E se você vier aqui defender Feysand, nem perca tempo. Não quero ouvir argumentos. Tô bem feliz no meu ódio eterno a esses dois, fica com deus.


    Passado o surto de ódio, voltamos aos personagens restantes. Que contribuíram bastante pro desenvolvimento do plot central que é a Nesta.

    "Você tem ideia de como seus olhos brilham quando seu poder desperta até a superfície? É como aço derretido. Como um incêndio de prata."

    Gwyn e Emerie, personagens femininas novas, trouxeram momentos muito bons pra história - tanto pra da Nesta quanto as suas individualmente. Assim como a Nesta, elas foram marcadas por perdas e traumas e se isolaram, e começam a se abrir para o mundo com o apoio de Nesta. Da chance de se fortificar e de confrontar o que temiam com coragem. De entender que seu passado não as define e nem deveria mover suas vidas; que elas merecem liberdade e felicidade.

    Juntas, as três formam uma irmandade tão linda de ler que eu me apaixonei perdidamente por quase tudo. Só achei gratuito demais um detalhe do passado da Gwyn que, pra ser bem sincera, chega. Não precisa mais em histórias assim, sabe? Com a Nesta e a Emerie, a SJM mostrou que é possível escrever trauma e superação sem apelar. Aí ela vai e me escreve um momento gratuito do passado da Gwyn que eu fiquei... Sério, amiga? 2021.

    Enfim. Não apaga a história linda que elas constroem, nem suas jornadas individuais reencontrando sua força e voz. Nesta estende a mão para elas como estenderam para ela porque sabe o quanto isso importa. Ser compreendida, ser ouvida, ter espaço para falar quando se sentir confortável. E Gwn e Emerie fazem o mesmo por ela.

    Além delas, Az, Elain, Mor e Amaren, figuras conhecidas da saga, retornam em seus respectivos papéis coadjuvantes para incrementar a trama principal. Az foi o melhor e mais participativo, uma vez que é bro do Cassian e está perto dele sempre que possível. Eu amo esse Shadowsinger maravilhoso e queria abraçá-lo durante todo o livro.

    Resenha: Corte de Chamas Prateadas - Sarah J. Maas

    Amren e Mor... Seguem os esteriótipos delas mesmas que a SJM já definiu. Mor é arrebatadora e cheia de comentários engraçadinhos, Amren é um pé no saco que de vez em quando tem seus momentos legais. Eu esperava mais da Amren, aliás, em relação à atitude com a Nesta; pra alguém tão velha e "cheia de conhecimento", ela bem agiu como uma líder de torcida de nariz virado. Enfim.

    A Elain... Eu sei lá o que a SJM pretende com ela, mas segue meio planta. Tem potencial de ganhar uma boa história bem desenvolvida? Tem. Esse livro explora alguma coisa pra isso? Não senti isso não.

    A Sarah gastou tanto cuidado em Nessian que acabou esquecendo dos outros - e eu não me importo porque eles são tudo que importa, de qualquer maneira.

    A Court of Silver Flames (Corte de Chamas Prateadas) tem poucas cenas de ação eletrizantes, servindo mais como a construção de algo novo. Tem detalhes políticos interessantes, abordando as cortes depois da guerra e como a paz não é realmente uma certeza; tem novos elementos fantásticos bem apresentados na história (ainda que alguns deles tenham saído diretamente de Harry Potter, cof cof) e dá pra Nesta uma trama paralela além da sua superação.

    O final foi um pouco novela das nove demais pro meu gosto, mas a Sarah J. Maas tem muito disso, né? Em Reino de Cinzas foi a mesma coisa. Aqui só soou apressado e descoordenado porque eu esperava mais de certos personagens, e de repente ficou fácil demais.

    Então não, não espere muita ação. Ele está mais para Corte de Espinhos e Rosas do que Corte de Asas e Ruína em questão de ritmo, e funciona muito bem por isso!

    Enquanto tem que lidar com tudo, Nesta também tem que lidar com sua magia. Com o que ela pegou do Caldeirão; qual foi a força antiga e misteriosa que se intrincou à sua existência. É legal, tenso e interessante, então mantém sua atenção mesmo nos momentos mais mornos e arrastados do livro.

    Nunca mais. Ela nunca mais seria fraca. Ela nunca mais dependeria da misericórdia de outra pessoa. Ela nunca mais falharia. Nunca mais, nunca mais, nunca mais.

    Queria só dizer que eu cantei a bola de quais eram os poderes dela faz muito tempo, minha senhora feérica maravilhosa e indestrutível!

    No fim das contas, A Court of Silver Flames (Corte de Chamas Prateadas) é um livro intenso, emocionante e que fala sobre crescimento e superação em todas as suas medidas. É uma história poderosa como a Nesta merecia, e expõe abertamente seu coração para o mundo; todas as sombras e luzes dele. Eu terminei ainda mais apaixonada por ela e pelo Cassian e já com saudade dos dois. O resto? Nhé, quem sabe eu volte pra mais um.

    Sinopse: Nesta Archeron sempre foi orgulhosa, rápida para a raiva e lenta para perdoar. Desde que foi forçada a entrar no Caldeirão e se tornar Grã-Feérica contra sua vontade, ela lutou para encontrar um lugar para si mesma dentro do estranho mundo que habita. Pior, ela não consegue superar os horrores da guerra com Hybern e tudo o que ela perdeu nela. A única pessoa que incendeia seu temperamento mais do que qualquer outra é Cassian, o guerreiro com cicatrizes de batalha cuja posição ao lado de Rhysand e na Corte Noturna de Feyre o mantém constantemente na órbita de Nesta. No entando, seu temperamento não é a única coisa que Cassian inflama. O fogo entre eles é inegável, e só fica mais quente quando eles são forçados a ficarem próximos um do outro. Enquanto isso, as traiçoeiras rainhas humanas que retornaram ao continente durante a última guerra forjaram uma perigosa nova aliança, ameaçando a frágil paz que se estabeleceu sobre os reinos. E a chave para detê-las pode muito bem depender de Cassian e Nesta enfrentar seu passado assustador. Contra o pano de fundo arrebatador de um mundo devastado pela guerra e atormentado pela incerteza, Nesta e Cassian lutam contra monstros por dentro e por fora enquanto buscam aceitação - e cura - nos braços um do outro.

    Título original: A Court of Silver Flames
    Autora: Sarah J. Maas
    Editora: Bloomsbury
    Gênero: Fantasia | Romance
    Nota: 4+

    1. Melhor coisa foi essa LC nada programada kkkkkk
      Esse livro teria sido perfeição se não fosse Feysand, mas olha.. ele me entregou tudo que eu queria do meu Nessian e fico feliz que a Jamais não cagou o ship
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    2. Olá, Denise.
      Não vou defender eles porque você disse para não fazer, mas discordo de você na questão deles deixando claro que ainda não li esse livro e não sei o que aconteceu nessa situação ai hehe. Então vou ter que ler para tirar minhas conclusões. Assim como em relação a Nesta porque na série ela é a ultima da lista na minha preferencia pelos personagens hehe. Espero mudar minha opinião sobre ela.

      Prefácio

      ResponderExcluir
    3. Olá!! Estou ansiosa para ler meu oto em segundo favorito! Eu amo Feysand, mas não irei entrar no assunto porque respeito o que você falou miga.
      Cara, sempre torci para ler sobre a história da Nesta, pois sabia que tinha muito mais no que a visão da Feyre mostrava e defendo o modo como a Nesta é, poisfaz parte do que ela passou e estamos apoiando ela. E aaaah o Cassian, gente, ele é muito fofo né? Tô aqui vomitando de amor imaginando eles dois!!!!! ❤️❤️❤️🥺
      Quero afiar meu inglês, para ler o livro. Porque né gente, não conseguirei segurar até sair o brasileiro.


      Possível spoiler:
      Miga, essa Emerie, poderia ser a possível parceira do Az???

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, migs!
        A Nesta tinha tanto potencial SIM e eu fiquei muito feliz porque a SJM usou todo ele e maaaaaaaais! Foi o melhor livro dela em questão de desenvolvimento de personagem, muito orgulho <3
        O CASSIAN É MEU TUDOOOOOOOOOO e nesse livro ele se superou!
        Tá difícil a versão BR né? Mas a editora sempre dá bola fora em questão de lançamento, nem me surpreendo.

        Então, eu acho que do Az vai ser a Gwyn, rola MOMENTOS ali. Quando você ler vai entender melhor, aguardarei surtos!

        Excluir
      2. Difícil viu kk... acabei de ler o livro e não dá a entender isso, mas abre especulações pra outra personagem hehe.

        Excluir
    4. Olá, Denise

      Aiiiii, morro de preguiça da Jamais. Tenho o box da trilogia Corte aqui, mas depois que comprei li tanta bosta sobre a série que olho pra ele e me dá até desgosto. hhahaha Em dado momento lerei, acho que muito em breve, inclusive. Se eu continuar não passando nas parcerias vai me sobrar tempo pra ler as coisas que estão encalhadas, pra uma coisa a tour da humilhação servir! hahahahaha Todavia, vai demorar até eu chegar nesse aí, se eu chegar.

      Beijos
      - Tami
      https://www.meuepilogo.com

      ResponderExcluir
    5. Eu adoro a série e Feysand, mas entendo total que nem todos gostam do casal haha. Eu fico tão feliz por ver tantas opiniões positivas sobre o ACOSF. Estou bem animada para ler e minhas expectativas estão nas alturass.

      Bjs

      Imersão Literária

      ResponderExcluir
    6. Oi, Denise
      Eu vi que muita gente surtou com a leitura desse livro, e parece que a SJM entrega tudo aquilo que vocês estavam procurando. Infelizmente não é uma autora que me interesse, então eu fico meio avoada nas leituras. Mesmo assim, é ótimo que você gostou.
      Beijo
      https://www.capitulotreze.com.br/

      ResponderExcluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.