Resenha: A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes

  • 09:00
  • 5 de jun. de 2020
  • Resenha: A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes

    Na lista de séries que estão retornando em 2020, Jogos Vorazes surpreendeu muita gente. O prequel anunciado pela Suzanne Collins veio cheio de polêmicas porque, afinal, escolheu dar protagonismo ao passado do Presidente Snow. E valeu a pena essa escolha? Depois de ter lido A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, eu te garanto: pra mim não, não valeu.

    Sinopse: É a manhã do dia da colheita que iniciará a décima edição dos Jogos Vorazes. Na Capital, o jovem de dezoito anos Coriolanus Snow se prepara para sua oportunidade de glória como um mentor dos Jogos. A outrora importante casa Snow passa por tempos difíceis e o destino dela depende da pequena chance de Coriolanus ser capaz de encantar, enganar e manipular seus colegas estudantes para conseguir mentorar o tributo vencedor. A sorte não está a favor dele. A ele foi dada a tarefa humilhante de mentorar a garota tributo do Distrito 12, o pior dos piores. Os destinos dos dois estão agora interligados – toda escolha que Coriolanus fizer pode significar sucesso ou fracasso, triunfo ou ruína. Na arena, a batalha será mortal. Fora da arena, Coriolanus começa a se apegar a já condenada garota tributo... e deverá pesar a necessidade de seguir as regras e o desejo de sobreviver custe o que custar.

    Antes de começar a ler a resenha, só queria deixar uma coisa clara que parece que não tá ficando mesmo sendo um texto bem pessoal: essa é a MINHA opinião. Minha minha minha só minhazinha. Assinado: eu de tão minha que ela é. Se você gostou, cara, parabéns! Fico feliz por você. De verdade. Eu queria ter gostado. Queria ter tido uma boa experiência e ter saído feliz dessa leitura. Esse espaço é totalmente livre pra você argumentar comigo e expôr sua opinião sobre a sua leitura, mas não diga que a minha experiência de leitura está errada só porque você discorda dela (e se vier me atacar por causa da resenha eu vou só te ignorar, bb).

    Caso tenha ficado em dúvida também: eu respeito a sua opinião se você gostou. Concordo com a sua opinião se desgostou. Para mais informações sobre como fazemos nossas resenhas, favor consultar a bio do blog (porque aqui não é o NY Times nem nada do tipo, eu só sou uma fangirl desgostosa reclamando de uma leitura que foi ruim, ok? Ok).


    Eu odiei esse livro. Essa história. Só isso. E eis minha resenha pra explicar os meus motivos pra isso.

    A história acompanha o jovem Coriolanus Snow em seus dezoito anos. Morador da Capital, ele foi escolhido para mentorar um dos tributos do décimo Jogos Vorazes; para Snow, uma oportunidade de ascender entre a elite e salvar sua família da falência, resultado da guerra entre os Distritos e a Capital. Para a gente? Eu sei lá que diabos de mensagem esse livro tentou passar.

    Que perda de tempo sem tamanho.


    Vou ser bem honesta e começar a resenha dizendo que odeio tudo a respeito dessa história. Eu odeio como a narrativa acha que eu vou me importar com qualquer coisa a respeito do Snow e da Capital depois de conhecer a fundo sobre eles na saga da Katniss. Eu odeio como enquanto os Distritos estão sofrendo coisas muito piores, a história quer mostrar que "coitadinhas das pessoas na Capital". Eu odeio como o Snow é mal trabalhado e como nada tem personalidade do início ao fim. E eu odeio o tempo perdido de vida que gastei com essa leitura.

    Se eu estou soando amarga ou raivosa demais, não peço desculpas. E, mais uma vez pela milésima vez, se você gostou: tô feliz por você!

    A impressão que eu tive durante as mais de 500 páginas é de que esse livro é vazio. Não passa emoção além de tédio. Não te dá aquela urgência que a trilogia Jogos Vorazes dava, de que tinha algo em risco ali; a vida da Katniss e de quem ela ama, sua liberdade, sua voz. Aqui, a Suzanne finge que tem alguma coisa triste acontecendo - e essa coisa triste não é nada demais, no fim das contas, porque o Snow é birrento e dramático. Nada realmente acontece.


    Todos os problemas da Capital são ridículos. A guerra já passou e eles já ganharam e estão escravizando e subjugando os Distritos desde então; nada do que disserem ou sofrerem vai causar empatia em mim porque sei que tem gente sofrendo muito mais. A Capital é privilegiada e está no comando de tudo, escolheu ser opressora e ditatorial e punir os Distritos com os jogos vorazes. Eu nunca vou me importar com nada a respeito das pessoas ali. Não apenas o Snow, mas aqueles ao seu redor - a elite e seus problemas de gente rica.


    E mesmo quando tenta mostrar a situação da família do Snow - a mais "ameaçada" em todo cenário, com a questão financeira e os avisos de despejo - não existe urgência. Nenhum traço na narrativa que te faça torcer pela família dele, ainda que não por ele.

    E o Snow... Ele soou tão choramingão que estava mais para Draco Malfoy que pra sombra do homem que nos aterrorizou durante três livros.

    Sim, eu sei, é a origem dele, como ele chegou onde chegou, mas nada disso é minimamente interessante. A narrativa não apresenta emoção ou riscos ou mesmo questionamentos que levem essa trama pra algum lugar. Tá, esse é o décimo Jogos Vorazes e o Snow é um mentor. E daí? Por que eu me importo em saber sobre ele, quando existem tantos tributos mais interessantes pra conhecer? Quando a história da Mags estava ali para ser contada? Por que ela escolheu o seu principal antagonista se nem pra trabalhar críticas sobre poder, traição, políticas e manipulações esse livro serviu?


    O Snow não é nada e nem ninguém. Ele faz uma coisinha ali e outra aqui de moral questionável, mas não é nada surpreendente. Eu não vejo esse garoto remelento manipulando todos ao seu redor pra subir ao maior cargo de Panem - principalmente com o final, que mostra quão manipulável ele é, na verdade. Eu não vejo esse garoto birrento e indeciso se tornando o presidente que ergueu todo um império de terror sobre os Distritos já marginalizados. O mesmo cara que disse "esperança é a única coisa mais forte que o medo" e que entendeu o poder nos pequenos atos rebeldes da Katniss.

    A narrativa nunca se decide a respeito do Snow e por isso tudo parece tão sem direção. Uma hora diz que ele é ambicioso, mas ele age em favor dos outros. Diz que ele é frio, mas ele toma decisões racionais. Diz que ele não se importa com nada além da ascensão ao poder, mas ele faz de tudo pra ajudar pra só pensar nos seus ganhos depois. A narrativa acha que não está justificando quem ele se tornou, mas está fazendo isso.

    Ao redor do Snow, poucos dos MUITOS (e são muitos mesmo) personagens são facilmente esquecíveis. Tão facilmente esquecíveis que eu só lembro o nome de três pra citar aqui: Lucy, Sejanus e Dra. Gaul.


    Lucy é a tributo do Distrito 12 que Snow deve mentorar. Sejanus é seu amigo isentão que tem alguns viéis revolucionários e humanitários mas no fim das contas fala mais do que faz. E a Dra. Gaul é a vilã suprema maléfica tomadora das piores decisões movida pura e simplesmente por MALDADE que só existe pra ser patética e caricata.

    Mas são todos tão... Sem graça, sabe? Não tem a presença e o carisma do Cinna, Effie, Haymitch, Rue, Johanna, Finnick, Prim e tantos outros.

    E a Lucy... Ai, cara. Eu não entendi o que a narrativa queria com ela. Não entendi seus traços e sua personalidade e sua presença além do fato de ela cantar e a história estragar músicas significativas da trilogia original dando significados merdas pra elas.


    A personagem existe pelo Snow. Só isso. Ela existe por um romance estúpido e sem sentido. Ela existe pra ser a voz de nada, um eco para os pássaros do Distrito 12 e pra dar origem a algumas canções que a Katniss conhece. Lucy existe pra ser um tributo e uma sobrevivente mas suas dores e história nunca são realmente conhecidos porque estamos presos ao merda do Snow - que, e eu parafraseio, se pergunta se a Lucy está pensando nele enquanto está nos Jogos Vorazes como ele está pensando nela enquanto a assiste.

    É como diz o ditado: Snow bom é Snow pisoteado por uma multidão de rebeldes furiosos.


    O livro é dividido em 3 partes que não me passaram emoção, porque nada explica aquela enrolação sem tamanho e sem sentido em tantos momentos. Quem se importa com o que o Snow vai fazer num domingo, meu bom deus? Personagens rasos e alguns momentos forçados que claramente perdem a magia por estar ali. Suzanne dá origem para alguns detalhes que são bonitos na trilogia da Katniss por serem simples e estarem ali. Eu não quero saber de onde surgiram. E certamente não quero que você os arruine ligando-os ao Snow.


    No mais, A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes é um desserviço às mensagens poderosas que Jogos Vorazes tão belamente conduziu. Uma história vazia que não me acrescentou em nada - e o que acrescentou não gerou questionamento ou crítica ou repercussão, porque a gente já sabe onde essa história vai acabar.


    Título original: The Ballad of Songbirds and Snakes
    Autora: Suzanne Collins
    Editora: Scholastic Press
    Gênero: Distopia
    Nota: 1

    1. NOSSA
      Eu vou é cancelar minha compra na Amazon KJNANKJSNKASKNJKSKJ
      Meu Deus, não parece valer MESMO a pena 😳😳

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Amiga gasta dinheiro com livro booooooooom fuja dessa armadilha!
        Você merece maaaaaaais ASUHUHASUHASUHASUHASUHAS

        Bjs!

        Excluir
    2. Ainda não li, ainda bem né kk poxa, que chato ne

      https://www.submersaempalavras.com/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Monyque! Que bom mesmo porque SEM OR. O desperdício de papel.

        Beijos!

        Excluir
    3. Olá, Denise.
      Sentada aqui com as minhas pipocas hehe. Eu acho que a autora quis inovar ao escrever sobre antes porque o povo que escreveu continuação de séries famosas só deu mal e não deu certo do mesmo jeito. Mas se queria escrever sobre antes porque escolher justo ele? Nada que ele fizer vai justificar o que acontece depois. Não sei ainda se vou ler.

      Prefácio

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Sil!
        Eu sinto que a vibe foi exatamente essa, mas já faz tanto tempo que ela caiu na maldição da Tahereh Mafi de não conhecer os próprios personagens e universo e tudo ficar superficial demais. E superficial em uma história de origem de vilão como o Snow é uma desgraça!
        E sim, eu nunca vou entender PORQUE o Snow. Com tanto personagem. Com a Mags logo ali um ano depois desse livro. AAAAAAAAAAAAA

        Beijos!

        Excluir
    4. Oi De,
      Confesso que logo que a notícia saiu eu pensei: QUE? PRESIDENTE SNOW?
      Mas achei melhor esperar as resenhas para saber se deveria comprar ou não o livro. Ufa, ainda bem que não gastei todo "aqueles dinheiros" na pré venda. Vou ver se espero uma promoção do ebook, porque no fundo, fico curiosa para saber o que vou achar, só que estou com zero expectativas. rs
      beijos
      http://estante-da-ale.blogspot.com/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Alê!
        SIM. De TODOS os personagens escolher o Snow era realmente perigoso - mas foi mais uma bosta colossal do que romântico a ideais errados ou qualquer coisa do tipo. Só existiu e passou mensagem e crítica nenhuns.......
        Se for ler, te garanto pelo menos umas risadas com as breguices do "romance" que tem.

        Beijos!

        Excluir
    5. Oi Denise, eu sinceramente não leio o que eu não gosto, só se for por uma obrigação de parceria. Então, como não tive a menor vontade de ler, passarei longe rs

      Bjs, Mi

      O que tem na nossa estante

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Mi!
        Ai menina te desejo toda sorte do mundo se tiver que ler. Pelo menos dá pra rir das tosquices do "romance" que ela tentou enfiar na história. Muito brega, meu deusssssss.

        Beijos!

        Excluir
    6. De, desculpa, mas depois da sua resenha eu meio que pperdi a coragem de ler KKKKKKKKKKKKKKKK
      eu até queria, mas acabei de passar por um sentimento parecidíssimo com a Prometida

      POxa, eu fiquei com saudade de ler Jogos Vorazes e quem sabe em ingles, dessa vez? Mas titio Snow, não te quero não kkkkkkkkk
      POR QUE ELA NÃO ESCREVEU SOBRE O HAYMITCH?????????????????!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      Beijocas da Pâm
      Blog Interrupted Dreamer

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Pâm!
        ASUHASUHASUHASUHASUH NÃO TE JULGO E FARIA O MESMO. Queria apagar completamente da memória o que foi esse troço.
        Jogos Vorazes é um grande SIM agora história do Snow FOGE!
        POR QUE ELA NÃO ESCREVEU SOBRE O HAYMITCH?????????????? SIM D:

        Beijos!

        Excluir
    7. Oi Denise! Eu sempre fico receosa de ler livros que ressuscitam séries finalizadas e que foram sucesso. Afinal nem sempre o resultado pode ser bom e parece que aqui foi uma péssima ideia. Eu não li Jogos Vorazes, mas acredito que se ler, fico apenas na trilogia. Esse eu passo. Boa semana! Bjos!! Cida
      Moonlight Books

      ResponderExcluir
    8. Oi, Denise!
      Como já falei.. cada um tem o cativeiro que deseja kkkkk Não vou ler esse livro tão cedo!
      Beijos
      Balaio de Babados

      ResponderExcluir
    9. Oi Denise,
      nem li e provavelmente nem lerei kkkk eu não tava tão ansiosa assim por essa história, e em todo lugar que vejo opinião, ela é negativa!
      Que pena que foi uma perda de tempo hahaha

      Beijos,
      Fantasma Literário
      https://ofantasmaliterario.blogspot.com/ ❤

      ResponderExcluir
    10. Vim aqui só para ter certeza que não preciso ler esse livro mesmo. Obrigada!! Hahahaha

      ResponderExcluir
    11. Este comentário foi removido pelo autor.

      ResponderExcluir
    12. Ah cara eu achei legal, pode não ser o que a maioria dos fãs esperavam, mas não achei ruim, e até gostei bastante. Não achei também de forma alguma que ela tentou romantizar o Snow para o leitor (meu maior medo, qdo vi a sinopse), ela realmente mostrou como ele é egoísta, sádico, avarento... Características do homem que ele iria se tornar e até pior, como a gente odeia nos três livros, ela realmente mostrou o passado dele dando explicação. Mesmo odiando ele a todo momento no livro, adorei ver a penúria dele e da família, muito legal tipo ele pobre, a família pobre, no meio da grande elite da capital, me deliciei com isso. E se tipo causou raiva ler e etc, a autora cumpriu o seu papel!! Era pra ter raiva mesmo. Acho incrível como sempre ele fica subjugando as pessoas que surgem durante, e tipo pensando como ele, seria exatamente assim na cabeça dele, seus pensamentos. Agora é esperar o próximo!! Parabéns pelo blog, gosto bastante!! ✌🏽👍🏼

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Leonardo!
        Eu realmente queria ter sentido tudo isso que você sentiu, mas não encontrei nada do tipo na minha experiência de leitura. Não consegui sentir raiva PELO Snow, mas pelo livro mesmo. Como eu disse na resenha, soou vazio e sem sentido na maior parte do tempo. Não achei nenhum plot ali que valesse a pena acompanhar; a única parte que me interessou foi conhecer mais dos jogos, mas ainda assim foi bem... nhé.
        Fico muito feliz que tu tenha curtido tanto. Eu detesto odiar leitura porque faz sentir que perdi um tempo que nunca vai ser recuperado UHASUHUHASUHASUHAS o que foi esse caso.
        Não sei se vai ter um próximo mas REALMENTE espero que ela escolha contar sobre a Mags ou o Haymitch.
        E obrigada pelo comentário!

        Bjs.

        Excluir
      2. Apesar de eu achar que o desfecho foi meio abrupto, parecia que ela queria acabar logo com o livro, mostra que ele era bem escroto. Ao mesmo tempo, soou meio forçado...

        Excluir
    13. Eu acho que se queria contar o passado, que contasse como foi a primeira edição dos Jogos após a guerra. É uma coisa que acredito que muita gente tenha curiosidade.
      Mas comprei o livro porque sinto que preciso ter na coleção, assim como Harry Potter e a criança amaldiçoada que é uma bela bosta kkkk

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Léo. Eu mesma. Queria ver a primeira edição ou mais do desenvolvimento da Capital como aquela megacidade controladora e opressora. Mas queria, principalmente, a Mags. Ela tem tanta história pra contar e a mulher me escolhe o Snow aaaaaaaaaaaaaaa
        Esse eu não comprei porque a raiva com o audiobook me salvou UHASUHASUHASUH espero que tu sofra menos com a leitura!

        Excluir
    14. Eu acho que você não entendeu a proposta do livro, e ele está longe de ser essa bomba que tu fazes parecer.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Exatamente, esse livro foi extremamente importante para a construção da história do universo de jogos vorazes, pena que muita gente não entendeu isso

        Excluir
      2. Oi, Bruno!
        Eu entendi exatamente a proposta do livro e detestei ele mesmo assim. É assim que funciona a opinião, né? Cada um tem a sua. Se você curtiu, parabéns! Eu odiei. E a resenha tá ai pra explicar os meus motivos. Tem resenha positiva pra explicar porque as pessoas curtiram também, óia que beleza! :)

        Excluir
    15. Parece até os fãs de Star Wars falando do Anakin das prequels lol

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Tati. Sou fã de SW e não acho que o Anakin seja a atrocidade que o Snow foi aqui :P UHASUHASUHASUH

        Excluir
    16. Eu achei interessante a parte da criação das 'coisas novas' pros jogos. As apostas, o envio de comida... E só.
      Ninguém gosta da porcaria dos jogos e mesmo assim eles já tão na 10 edição! Quando vc acha que vai pra algum lugar, vem um plot twist, e nada acontece. Achei o final JOGADO. Sei lá, ela viu que tava grande demais e resolveu encerrar... Cheguei até achar que ia ter um 2o livro, pq tava acabando e não tinha resolvido NADA.
      Penso que ela poderia ter escolhido outros personagens pra desenvolver, essa luta interna do Snow com ele mesmo não me comoveu ou envolveu.
      E talvez vire filme ainda! Passada...

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Aline!
        Sim pra tudo que você disse! A parte do desenvolvimento dos jogos e toda a manipulação pra transformar eles no pão e circo da Capital realmente foi interessante, mas só.
        Nossa aquela terceira parte foi a coisa mais enfadonha que eu já li na VIDA. Queria arrastar minha cara no cimento quente que pelo menos alguma coisa ia estar acontecendo.............
        Quero nem ver esse troço ganhando vida no cinema, misericredo.

        Bjs!

        Excluir
      2. Na terceira parte, acho que a traição foi uma coisa importante para a história e para mostrar a personalidade do personagem, mas concordo que o fim foi jogado...

        Excluir
    17. Caline S. Cavalcante11.7.20

      Eu gostei do livro. Achei que para uma construção de uma personagem já conhecida, ela fez um bom trabalho e mais ou menos inovadora. Já que diferente de muitos ela não buscou redimir Coriolanus Snow, o vilão dos livros que já lesmo. Porém, assim como nosso querido autor brasileiro, Machado de Assis, que faz uma crítica sutil e irônica sobre a sociedade burguesa brasileira de fins do século XIX, usando justamente personagens que compõem esse meio para revelar o que tem de pior nele. Eu vejo a mesma coisa sendo feita pela autora em A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes e esse título diz tudo da história dele e marca as características que vemos em Jogos Vorazes, a Capital, uma cobra venenosa e os Distritos pássaros desesperados para voarem. Collins nos apresenta ele num momento decisivo para a consolidação de sua personalidade, do presidente que aterrorizará os pesadelos da Katniss. Fora a maneira que vemos os jogos serem construídos como os conhecemos pela primeira vez e que só uma pessoa realmente má a colocaria em prática e faria de tudo para a manutenção da mesma, a Dra. Gaul é uma vilã que garante um pupilo que se tornará vilão lá na frente, por tudo que já estava intrínseco nele, na família e no meio social dele, claro que há exceções, sempre existem exceções, a prova disso é a prima dele, Tigris que deu abrigo a Katniss no último livro quando ela chega a Capital com o objetivo de dar cabo de Snow. Me pergunto o quanto ele a decepcionou ? Ela que fez tanto por ele. Mas isso é ser o que ele é, uma pessoa sedenta por poder e controle, disposta a tudo. Foram as pequenas trapaças e as grandes traições dele nesse livro que construíram o presidente cruel da futura Panem que conhecemos nos Jogos Vorazes. Um presidente frio, calculista, cruel, manipulador (imagino que o resto disso ele aprendeu bem com a dra Gaul), que desde o início viu o perigo precipitar do 12,mais rápido do que os outros, o que explica também a obsessão dele e o foco quase absoluta na Katniss,no último livro. A construção da personalidade, com os últimos desfechos da história deram a entender que a Katniss, o 12, a música e, principalmente, os tordos fizeram ele lembrar de coisas que devia ter deixado no passado a muito tempo, e do que ele não conseguiu "resolver", da criança que ele "amou" e que amou os últimos vestígios da criança que havia nele, de que o embate deles no final só o fez acreditar mais profundamente, como sua a mentora Dra. Gaul, que o ser humano é uma animal que sem leis são autodestrutíveis e que somente o controle absoluto poderia "resolver" o problema. E é claro, como ele diz no início do livro, essa obsessão dele em focar demais em um problema para resolvê-lo logo, tirando sua atenção das demais ameaças, iria acabar o matando um dia, e bom ele acertou. Agora eu entendo porque ele não percebeu a Coin sorrateiramente a lhe dar o bote, porque ele focou tanto assim na Katniss, em destruir ela e a imagem que ela carregava, porque ela é a personificação, de carne e osso, da Lucy Gray, da rebeldia dos distritos, dos tordos que ele tanto desprezou e ouso dizer que temeu por serem a representação de que a Capital não tinha o controle de tudo. Bem essas últimas duas a gente já sabia, mas fica mais forte e significativa sabendo dessa parte do passado dele, sem contar a Lucy, que foi um achado, saber finalmente de onde veio as canções, a história por traz. Me pergunto se de repente a Katniss não tem sangue da prima dela, da Maude Ivory... continua no próximo comentário...

      ResponderExcluir
    18. Caline S. Cavalcante11.7.20

      ... continuação do cometário anterior... Bom, é por tudo isso que eu não concordo com você, para mim não foi uma perda de tempo, fez com que algumas coisas da história fizessem sentido, e outras mais ainda. O erro da história é que foi uma construção fácil de entender, principalmente para quem leu Jogos Vorazes, mas suspeito que a autora quis assim, porque o Snow era um aluno, recebendo lições constantes da vida e da Dra. Gaul, não lições de boa conduta (ao menos verdadeiramente, já que as aparências precisavam ser mantidas) obviamente. Enfim, mas essa é a minha opinião, a minha experiência da leitura, o meu ponto de vista. Eu gostaria de te proponho um desafio, que talvez você não aceite, mas quem sabe seu eu do futuro não reconsidere, se você ainda lembrar dessa mensagem. O desafio é: que daqui a dez anos você dê uma nova chance a essa obra que tanto, tanto, mais tanto detestou, releia e escreva aqui como foi a sua segunda impressão da obra. Desculpa se você acha que é uma perda de tempo, mas talvez você pense diferente daqui a alguns anos, não que você vá gosta do Snow, a autora é bem ambígua na construção dele, mas no fim firma quem ele se tornou. No fim, o objetivo se mostra o mesmo que o do Jogos Vorazes, expressar que o totalitarismo não é aceitável, é ruim, é maligno, sabemos o final de todas as jogadas controladoras e obsessivas do Coriolanus Snow, mas não somente dele, da Alma Coin também, por falar nela, você gostaria de ler sobre a construção da personalidade dela? Eu gostaria. Abraços!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Caline. Tudo bom?

        Eu li todo o seu comentário e fiquei bem feliz que esse livro te passou toda essa experiência grandiosa. É sempre uma sensação boa quando a gente consegue tirar um monte de coisa boa de uma história, que te deixa pensando nela por horas.

        Te garanto que não vou pegar esse livro daqui a dez dias, dez semanas ou dez anos. Eu não me interesso em reler o que detestei. Não foi uma experiência boa, então eu sigo a minha vida pra procurar outras que sejam. Se eu releio livros, releio pra ter certeza de que gostei deles (e já aconteceu mais de uma vez de reler e detestar o que tinha amado, o que me garante que eu não releria uma segunda vez de novo). Mas assim, eu agradeço pela educação e pelo seu tempo aqui. Queria que mais pessoas tivessem a maturidade de olhar pra minha resenha e argumentar do jeito que tu argumentou. Foram ótimas palavras e argumentos bem expressivos, e eu queria conferir uma resenha tua sobre a obra. Seria legal ter esse tipo de opinião lá no Skoob também, pra manter o equilíbrio entre quem tá odiando e quem tá amando.

        Sobre a Coin: sim, eu me interessaria em ler uma história sobre ela. Eu acho que uma vilã que nasceu do arquétipo "heroico" liderando um distrito afundado e que se corrompeu pelo poder tanto quanto o Snow, muito mais sutilmente e monstruosamente que ele, seria uma figura interessantíssima de acompanhar numa obra.

        Obrigada pelo comentário e pelo respeito :D

        Beijos, Denise.

        Excluir
      2. Caline eu me identifiquei muito com o que escreveu, tive as mesmas percepções que você sobre Snow e os demais personagens, acredito inclusive que esta tenha sido a ideia que a escritora quis passar.

        Excluir
    19. Oi, uma pena vc não ter gostado, mas gostei bastante e adorei as discussões filosóficas, não acho q a autora escreveu pela história em si, mas para discutir um assunto. Não vim falar pq gostei, mas só pra falar q gostei pq vi muitas críticas negativas

      ResponderExcluir
    20. Terminei de ler o livro hoje e resolvi buscar críticas sobre o mesmo,com certeza ele não é eletrizante como os demais livros da saga e também não conta a história de personagens queridos mas achei que fez muito sentido.O restante da da saga conta a história de Katniss e este conta a história do Snow,o vilão,é de como tudo começou, explica o ódio dele por Katniss pois ela representa tudo que ele amou e odeia ao mesmo tempo e como os Jogos se transformaram no evento em si, se a história estivesse focada em outro personagem não teria o mesmo significado de entendimento para a saga.O que me decepcionou sobre o livro foi não saber mais sobre Tigris. Obrigada por sua resenha

      ResponderExcluir
    21. Nosssa, amei o livro de verdade. Acho que o que atrapalhou as pessoas foi o fato de vocês quererem uma história que a autora não queria contar. É um livro político, assim como Esperança, onde o foco não são os tributos. Recomendo a todos que leiam e tirem suas próprias conclusões. :)

      ResponderExcluir
    22. Li, não gostei e ainda fiquei com raiva por não saber direito o destino de uma personagem.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi, Leila. Se é a personagem que eu tô pensando que é, também fiquei bem frustrada pelo final vazio. Tipo... Tá? Existiu e ai ninguém nunca mais teve lembrança dela lá na trilogia Jogos Vorazes

        (eu acho que uma tributo tão marcante do distrito 12 deveria ser lembrada quando OUTRA tributo fodona do distrito 12 se destaca, né. Mas né... Choices da autora).

        Excluir
    23. Állan Henrique Barbosa21.8.20

      Oii. Acabei de ler o livro. Particularmente achei uma leitura boa. Só uma coisa que me incomodou muito foi o fato de não ter visto nem um pouco o anseio pelo poder do Snow. Esperava um cara complexado sim pela guerra, e por tudo o que aconteceu, pq querendo ou não, ele era uma criança durante a guerra e deve ter sido terrível, mas eu esperava esse garoto complexado se tornando um tirano completo ao decorrer das páginas, mas não, deu a entender q ele ficou o Snow q conhecemos em Jogos Vorazes, por um coração partido. Quando tínhamos um leque de opções pra trabalhar, como já virei a guerra, uns transtornos que isso pode ter causado nele, o medo de uma nova revolução e por isso ele buscar tão intensamente o poder pra poder numa medida desesperadora impedir que uma nova guerra estourasse e trouxesse tudo o que ele sofreu quando criança durante a primeira. Mas no geral eu achei interessante por não ter se apoiado muito na trilogia original

      ResponderExcluir
    24. Gostaria muito de ter lido esta resenha antes de ter gasto meu dinheiro e tempo com este livro tedioso. Triste, triste.

      ResponderExcluir
    25. Velho, eu não costumo comentar não resenhas, mas eu super me identifiquei aq viu, obrigada por essa, Denise. Vei, como super fã de sagas, eu amo um universo expandido, pq a gnt mendiga oq tem, mas eu tb sempre sinto que os autores estão querendo só ganhar dinheiro, na maioria das situações, e eu super elogiava suzanne, pq pelo menos aq no brasil n lembro de ter livros expandindo o universo de thg, mas ai ela chegou com esse, e pensei: blz, vamo dar uma chance, né. A história era sobre Snow (cara, sem dúvida um dos melhores personagens da trilogia, pelo menos pra mim, e tipo, amo como ele foi retratado nos filmes -menos em Em Chamas, q p mim ele tava p fantoche de plutarch e n curti), super o reconhecia como um cara inteligente, astuto, poderoso e tals. Que bela decepção essa história de origem, viu, pq como tu falou, n mostrou nada da ascenção dele. Quando eu vi que o livro era dividido em 4 partes, e era a origem de snow, e o começo ele era super novo, pensei q ia saltar no tempo, sabe, tipo, 1 parte esses jogos ai; segunda parte ele, 5 anos dps, começando a vida politica; dps qnd ele tava tentnado a presidência e assim ia. Alguns assassinatos. Uma visão geral da história de snow com um paralelo de panem e dos jogos, sabe? já q era uma historia de origem, queria sentir o crescimento, o processo ao longo do tempo. Que bela de uma decepção! Pra mim, o ponto positivo só, foi q antes de saber a sinopse, qnd divulgaram o lançamento, achei q ia ser nos dias escuros, e achei bem melhor ser na 10 edição dos jogos, pq assim a gnt viu q eles já n nasceram no absurdo q eram (era um absurdo um pouco dfiferente kkkk), mas ainda sim, foram várias novidades nos jogos colocadas de uma vez, q até q foi forçado sabe. Enfim, no mais, só repito como tu falou sobre personagens fracas, esquecíveis, sem personalidade e que n acrescentam nada pra gente. Reli a saga antes de ler esse, e cada segundo que eu relia, me lembrava o quanto thg é bom e genial, e esse novo livro foi real um desserviço pra saga

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. e pra mim, em vez de responder perguntas (como um livro de origem deveria servir), me deixou com mais perguntas: oq aconteceu com tigris e snow? como snow real chegou ao poder? (tem a gaul, mas isso n foi bem respondido), etc

        Excluir

    Deixe seu comentário, sua opinião é sempre muito bem-vinda!

    Tecnologia do Blogger.